A vida precisa do vazio: a lagarta dorme num vazio chamado casulo até se transformar em borboleta. A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida. Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito. É no vazio da jarra que se colocam flores. E as pessoas, para serem belas e amadas, precisam ter um vazio dentro delas. A maioria acha o contrário; pensa que o bom é ser cheio. Essas são as pessoas que se acham cheias de verdades e sabedoria e falam sem parar. São umas chatas! Bonitas são as pessoas que falam pouco e sabem escutar.
- Rubem Alves.
Você me fez lamber, roçar a barba. Sua coxa foi parar na minha cara, você beijou minha canela, eu lambi seu dorso, você esfregou os peitos no meu umbigo, eu cheirei seu joelho, você mordeu minha bunda, eu beijei os seus olhos. Eu nunca transei num primeiro encontro e queria muito saber se isso conta como sexo. O que foi isso, afinal? Foi louco, foi bom, foi íntimo, foi mágico, foi vinho, e mesmo sem penetração, foi sexo, embora nossas genitálias não tenham sido formalmente apresentadas. Minha cara dizia tudo. Eu estava experimentando uma coisa que a maioria não tem nem ideia que existe. Num impulso ela pulou de volta, montando no meu corpo na horizontal, mole e nulo e inerte, totalmente sem gozar concretamente. Me encheu de pequenos beijinhos ininterruptos falando “Isso foi estranho, não foi?” Poxa, se foi. “Você não imagina o que sou capaz de fazer com o primeiro cara que me pedir em namoro”. E foi nessa hora que eu a convidei para morar comigo.
- Gabito Nunes.
Eu não devia ter deixado transparecer que te amava, as pessoas não dão valor para o que tem na mão. Mas o que eu ia fazer, se até uma criança olhando meus olhos veria o quanto eu estava apaixonado.
- Guilherme.  
Há momentos que se cansa de viver né?
É como se acordássemos e simplesmente esperássemos a hora de dormir, somente respirando…
- Willians Souza. 
Estava no meu quarto e tinha bebido muito mais que o de costume, acendendo um cigarro no outro, pensando nas garotas e na cidade e nos empregos e nos anos que ainda viriam. Olhando para o devir, eu gostava muito pouco do que via. Eu não era um misantropo ou um misógino, mas gostava de estar sozinho. Era bom estar solitário num lugarzinho, sentado, fumando e bebendo. Sempre tinha sido uma boa companhia para mim mesmo.
- Charles Bukowski.
Existiu um momento, um triz, talvez tenha sido apenas um dia ou uma semana, não sei, em que a coisa realmente pareceu que ia dar tudo certo.
- Gabito Nunes. 
Eu não sou difícil de entender. A verdade é que eu sou bem fácil de lidar. A verdade é que se eu gosto, eu gosto mesmo. E corro atrás, e me desculpo, e piso em cima do meu orgulho e às vezes até de mim. A verdade é que quando eu amo, eu não sei mentir. E me entrego mesmo, e me coloco num cantinho qualquer, não olho para os lados, e sem perceber já vou, já fui, já nem tô mais, nem nunca estive.
- Casebre.
Eu quis ligar pra alguém. Contar o que tinha acontecido, e que doía. Mas não havia ninguém ali. Ninguém com que eu pudesse contar. Ninguém disposto a abrir mão do sono para ouvir minhas queixas. Ninguém que se importasse. Então eu virei pro lado e a dor veio. Rápida. Forte. Devastadora. Senti minha alma se rasgando ao lembrar daquelas palavras. E dói. Ainda dói.
- Os 13 porquês. 
E mesmo que tudo dê errado, mesmo assim, não tem problema. Eu deito no telhado de uma casa qualquer, olho pro céu e invento uma nuvem que chove sorrisos, bem em cima de mim.
- Los Hermanos.
o barulho das águas estralando no peito
o chacoalhar das embarcações
o suor das mãos desatando os nós
o deslizar do vento na atmosfera inquieta
o reencontro no abismo azul da (nossa) alma
o descobrimento de um novo ritmo
escala de tons diluídos da abertura na pele
que nos leva ao inusitado
o som das águas sendo cortadas pelo destino
insólito e fresco
a volta
a redescoberta do íntimo
inconstante
infinito
de nós.
-  Elisa Bartlett.
Se você tem pai, se você tem mãe, se você tem uma casa, se você tem uma comida na mesa, se você tem uma cama limpinha, quentinha, se você tem saúde, se você enxerga, se você escuta, se você se supera, se você erra e aprende com seu erro, aí você é feliz, aí você tem tudo.
- Chorão. 
A gente ia ser feliz, a gente ia ser um do outro, a gente ia .. ia… ia… E não foi.
- Cidades de Papel.
Eu sei
me perdi
mas, ei,
só me acho
em ti.
- Los Hermanos.
Quanto a mim continuarei calada e fria e nunca terei medo da verdade. É sempre melhor não adiar o que tem de se dizer.
- O Diário de Anne Frank.  
Eu quero é ele. Ele, ele, ele. É que não tem ninguém igual. É que não vai ter sentimento igual. É que não vai ter outra pessoa que seja assim, tão único, tão perfeito, tão, tão… sabe? Não vai ter, eu sei.
- Clarissa Corrêa.
1 2 3 »